NERSANT quer a tecnologia ao serviço das empresas - Workshop sobre Inteligência artificial e blockchain em Abrantes - NERSANT

NERSANT quer a tecnologia ao serviço das empresas

Workshop sobre Inteligência artificial e blockchain em Abrantes

A NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém levou até Abrantes o projeto financiado Ribatejo InovFin, a fim de despertar as empresas desta região para a importância da tecnologia no seio das empresas. Inteligência artificial e blockchain foram o tema em debate, que contou com o contributo do professor especialista Luís Paulo Reis.

É inegável que inteligência artificial e blockchain são duas das principais tecnologias que estão a acelerar o ritmo da inovação e a introduzir mudanças radicais em todos os setores da economia. A NERSANT verificou, no entanto, que muitos dos empresários da região não estão ainda despertos para esta realidade, pelo que organizou em Abrantes uma sessão sobre a importância destas tecnologias.

Convidou para o efeito Luís Paulo Reis, do Laboratório de Inteligência Artificial e Ciência de Computadores da Universidade do Porto, que abordou as principais áreas de aplicação da inteligência artificial e do blockchain, bem como possíveis aplicações em contexto empresarial,

“Cada vez mais temos que perceber o que as máquinas querem dizer e o que elas podem fazer. Os dados e imagens que todos nós colocamos nas várias plataformas da internet ficam lá para sempre. É importante sabermos utilizar as novas tecnologias”, começou por dizer, referindo de seguida que a inteligência artificial será capaz, num futuro próximo, de criar “mecanismos de perfeição” que permitam às máquinas substituir plenamente o ser humano no cumprimento das suas tarefas. “O objetivo da IA é a máquina/robot ser capaz de tomar decisões de acordo com o ambiente onde está, pois a máquina aprende sozinha”, reforçou. Disse ainda que a aprendizagem computacional – machine learning, no seu termo em inglês – será ainda aplicada a todos os setores de atividade, seja na indústria, na administração pública ou na sociedade em geral.

O professor falou do benefício das empresas correlacionarem a IA com o blockchain. “Este é um sistema para dados avançados, e através da criptografia (estamos sempre a falar de algoritmos), protege os dados. Em conjunto com a IA as possibilidades de segurança de dados nas empresas é muito maior. A IA trabalha assim um algoritmo inteligente (pois a máquina pensa por ela) e pode proteger os dados encriptados”.

Depois do coffee-break, a plateia ficou a conhecer dois exemplos de aplicação destes conceitos. Da empresa Litec/Optimizer, tomou a palavra Joaquim Gonçalves, e pela VPS (Virtual Power Solutions), Lurien Klein. Seguiu-se a realização de um debate com a participação do público, moderado por André Alvarim, da Sociedade Portuguesa de Inovação.

De referir que este workshop, realizado dia 26 de junho, foi realizado ao abrigo do Ribatejo InovFin, projeto financiado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, que visa promover no Ribatejo, a inovação, a literacia e a qualificação financeira e o acesso a novos modelos de financiamento, através da dinamização de um conjunto de atividades e da criação de um conjunto ferramentas abertas a toda a comunidade empresarial.

in:

FORMAÇÃO


AGENDA


PROJETOS